Na novela, a justiça tarda, mas não falha: os cinco casos

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Na novela, a justiça tarda, mas não falha: os cinco casos de "O Outro Lado do Paraíso" que foram parar nos tribunais

Date April 19, 2018 19:43

Agora que a trama está em sua reta final, pode-se dizer que, além das incríveis reviravoltas, O Outro Lado do Paraíso também foi marcada por muitas idas aos tribunais.

Já teve de tudo na novela! Falsidade ideológica, condenação por pedofilia, assassinato e corrupção foram alguns dos motivos que fizeram os personagens de Walcyr Carrasco esperarem ansiosos por seu julgamento.

Veja agora os cinco casos que tiveram (ou terão) seu desfecho na Justiça e renderam bons pontos de audiência:

1. O julgamento de Duda e suas revelações bombásticas

A estreia na sala de audiência foi feita por Duda, que, na verdade, é Beth. A personagem de Glória Pires chegou a abrir mão de sua liberdade para proteger a filha, Clara (Bianca Bin). Isso porque a mocinha corria o risco de ser condenada pelo assassinato de Laerte (Raphal Vianna), que foi uma das vítimas da Mãos de Tesoura, Sophia (Marieta Severo).

O julgamento durou cinco capítulos e contou com depoimentos decisivos, como o de dona Caetana (Laura Cardoso), e mais uma reviravolta, marcada pela presença de Renan (Marcello Novaes), em carne e osso. Sem esquecer, é claro, da revelação de que Adriana (Julia Dalavia) era filha de Beth. No fim, tudo foi esclarecido e a réu foi inocentada.

2. O padrasto pedófilo

Como era de se esperar, o julgamento do delegado Vinícius (Flávio Tolezani), denunciado por sua enteada, Laura (Bella Piero), foi uma das sequências mais comentadas da novela e, podemos dizer, mais difíceis de serem feitas, devido à seriedade do tema.

Ele estava certo que escaparia dessa, mas as provas foram aparecendo e, no final, o criminoso acabou confessando tudo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Ginecologista de O Outro Lado do Paraíso assedia personagem e novela leva como se fosse engraçado

3. O juiz sócio de bordel

Esse caso foi fruto de uma das vinganças de Clara. Com sede de justiça, a mocinha denunciou a corrupção praticada por Gustavo (Luís Melo) ao revelar que ele era sócio de bordel. Por ocupar o cargo de juiz, ele não poderia ter nenhuma sociedade, muito menos da administração de um bordel.

Foi, então, a vez de Gustavo ouvir seu próprio veredito. Desmascarado, ele teve que dizer adeus à sua função.

4. O suposto roubo de Clara

Incriminada pelos vilões Renato (Rafael Cardoso) e Fabiana (Fernanda Rodrigues), Clara teve que enfrentar a sala de audiência duas vezes. Na primeira, a mocinha precisou ouvir as acusações absurdas do casal de que ela teria roubado os quadros de Beatriz (Nathalia Timberg) e engolir a injustiça de ter seus bens bloqueados até que fosse provada sua inocência.

Porém, graças à competência de seu amado, o justiceiro Patrick, Clara conseguiu sair dessa depois que Hermínia (Marília Martins) – diretora da clínica psiquiátrica na qual ela tinha sido internada – testemunhou a seu favor.

5. Sophia, o que é teu está guardado!

Na novela, a justiça tarda, mas não falha. Prova disso é que a personagem mais criminosa da trama, enfim, terá sua devida condenação.

A impiedosa Sophia, Mãos de Tesoura sentirá o gostinho de ser julgada pela série de crimes cometidos e passará o resto dos dias em um manicômio judiciário, após ser diagnosticada como psicopata. A megera provará do que fez com Clara no começo da novela e a mocinha, finalmente, será vingada.

Parece que o autor gosta mesmo de fazer justiça com as próprias mãos, ou melhor, escrevendo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: “O Outro Lado do Paraíso”: saiba tudo o que vai acontecer no último capítulo da novela