5 dicas para ajudar a criança a lidar com o medo

FAMÍLIA & CRIANÇAS

5 dicas para ajudar a criança a lidar com o medo

Date November 2, 2017 19:42

O medo é uma reação natural do ser humano. É como uma resposta psicológica que tem a função de nos indicar um possível perigo, sendo fundamental para a nossa preservação.

A diferença está nos extremos: quando o medo é exagerado ou muito irreal, quando ganha o nome de fobia ou quando o medo simplesmente não existe. Em ambos os casos é motivo de cuidado e de preocupação.

Recomendado para você: Garotinho tinha medo de ir para a escola. Então, sua mãe desenhou um coração na mão dele por um motivo comovente

O medo está presente em nossas vidas desde que nascemos, mas para cada idade e cada época da vida esse medo se manifesta de uma forma diferente.

Na infância, o medo é uma característica ainda mais marcante e muitos eles são irreais em determinados momentos da infância. É importante identificar se o medo está de acordo com a faixa etária e então, algumas dicas podem ajudar a criança a passar por esse processo:

1. Escute e acolha: incentive sempre a criança a falar sobre seus medos e seja qual for o objeto do medo, acolha essa criança, com palavras que a acalmem, dizendo que está tudo bem, que ela está segura, etc.

2. Evite os extremos: caso a criança demonstre medos absurdos, evite banalizar, chamar de covarde ou medroso, ou dizer que “monstros não existem”, por exemplo, ou que são medos bobos. No outro extremo, evite dramatizar o medo para que a criança possa perceber por si só quais são medos reais e quais são irreais.

3. Enfrentamento: conforte e ofereça segurança para a criança diante de seus medos, incentivando-a a enfrentá-los. Mas se sentir que a criança não está preparada, no force o enfrentamento.

4. Observe: é sempre importante observar se o medo da criança tem fundamento, se mesmo sendo irreal está de acordo com a fase de desenvolvimento e se ela consegue ter reação diante do medo.

5. Converse: Após observar qual o tipo de medo, se a criança já estiver em idade adequada para diálogo, converse com ela e explique o quanto é natural sentir medo e que todos sentem, mas o mais importante é a forma de enfrentar esse medo.

Caso perceba que o medo pode estar atrapalhando a criança em seu dia a dia, para fazer as atividades corriqueiras e caso esteja afetando seu desenvolvimento e seu relacionamento com outras crianças, recomenda-se procurar ajuda profissional.

Veja também: Medo que dá medo! Existem medos específicos para cada fase da infância


O propósito deste artigo é meramente informativo. Não há intenção de oferecer recomendações médicas. Fabiosa não é responsável por possíveis consequências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, alteração alimentar, ação ou uso de medicamentos resultantes da leitura e das instruções contidas neste post. Antes de começar qualquer tratamento, consulte um médico. As informações acima não substituem um diagnóstico a ser realizado por uma equipe de profissionais preparados.