7 formas de lidar com uma crise com a Síndrome do Pânico

FAMÍLIA & CRIANÇAS

7 formas de lidar com uma crise com a Síndrome do Pânico

Date 22 de setembro de 2017

Medo, sensação de perigo, de morte, dormência e formigamento em alguns lugares do corpo, coração acelerado, sudorese, tremores, calafrios, tontura, desmaio. Estes são alguns dos sintomas de uma crise do Síndrome do Pânico.

Trata-se de um tipo de transtorno de ansiedade em que a pessoa tem crises, que podem durar de 20 minutos a algumas horas e geralmente necessita de tratamento com medicamentos e psicoterapia.

Borysevych.com/ Shutterstock

Esse é um transtorno que está sendo cada vez mais identificado devido ao ritmo de vida moderno que favorece o aumento de diferentes tipos de transtorno de ansiedade, sendo diagnosticado geralmente no final da adolescência e início da idade adulta, embora ocorra em menor grau após os 30 anos.

Costuma afetar mais mulheres do que homens e entre os fatores que podem desencadear o transtorno estão: estresse extremo, morte de ente querido, mudanças radicais, abuso sexual, traumas ou acidentes.

As crises geralmente são intensas, mas com duração relativamente curta se a pessoa souber controlar ou tiver a ajuda de alguém ao lado.

Veja 7 dicas para lidar com uma crise de Síndrome do Pânico:

1 – Respire fundo: puxe o ar pelo nariz lentamente e solte lentamente. Mantenha essa respiração consciente por alguns segundos e verá o resultado.

2 – Parece insuportável, mas passa: lembre-se que uma crise é uma crise e você não vai morrer.

3 – Tente mudar o foco: tente desviar a sua atenção para outra coisa que não seja o sintoma.

4 – Evite longos períodos em jejum: quedas de açúcar no sangue podem favorecer uma crise.

5 – Selecione informações, pessoas e situações: não deixe sua mente e seu organismo poluídos com conteúdos excessivamente negativos.

6 – Cuidado com alimentos estimulantes: o café e outras bebidas estimulantes podem provocar insônia e ser um estopim para crise de pânico.

7 – Diminua a autocobrança: seja mais tolerante consigo mesmo e com os outros. Respeite seus limites.

O propósito desta postagem é exclusivamente informativo. Não há intenção de oferecer recomendações médicas. Fabiosa não é responsável por possíveis consequências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, alteração alimentar, ação ou uso de medicamentos resultantes da leitura e das instruções contidas neste artigo. Antes de experimentar qualquer tipo de tratamento, o leitor deve procurar um médico.

Recomendado para você: Força, Padre Fábio de Melo! Religioso revela sofrer de Síndrome do Pânico e diz não ter medo da sua humanidade