Pesquisa revela que entrar mais tarde na menopausa pode melh

Pesquisa revela que entrar mais tarde na menopausa pode melhorar a memória

Família & Crianças

April 23, 2018 16:42 By Fabiosa

Qual a relação entre a menopausa e a memória? O que muitos de nós desconhecíamos agora se provou uma possibilidade de acordo com uma pesquisa realizada no Reino Unido. Os dados desse estudo comprovaram que pode haver uma relação entre o início mais tardio da menopausa e o aumento na memória feminina.

A pesquisa realizada pela University College London acompanhou 1.315 mulheres desde o seu nascimento, em 1946, até a entrada na menopausa, seja natural ou provocada pela remoção dos ovários. As mulheres tiveram suas habilidades cognitivas testadas nas idades de 43, 53, entre 60 e 64 anos e aos 69 anos. Além disso, também foram levadas em consideração outras informações, como tabagismo, habilidades cognitivas na infância, ocupação, nível educacional e até mesmo se elas faziam reposição hormonal.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Que calorão! Mulheres na menopausa sofrem mais com as altas temperaturas

O teste de memória verbal consistia em tentar relembrar uma lista de 15 palavras três vezes. Quando foram testadas aos 43 anos, o resultado foi uma média de 25,8 palavras a cada 45. Já aos 69 anos, a média foi de 23,3 palavras.

Dessas mulheres, 846 entraram naturalmente na menopausa. Entre elas, as que entraram mais tarde nesse período tiveram melhores resultados no teste, lembrando cerca de 0,17 palavras a mais por ano de atraso. Esse resultado, quando combinado com outros fatores, dava um valor de 0,09 palavras adicionais por ano. Já para as mulheres que iniciaram a menopausa artificialmente, não foi encontrada relação com a memória. Também não se encontrou relação entre a idade e a velocidade do processamento das informações.

O estudo sugere que os processos hormonais podem estar associados às habilidades cognitivas principalmente devido ao papel do estrogênio como receptor do gene que atua no armazenamento da memória. A autora do estudo Diana Kuh avalia que os resultados podem representar uma redução do risco de demência nas mulheres que entram tardiamente na menopausa. Todavia, ainda serão necessárias mais pesquisas para determinar se esse é o caso.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Menopausa sem segredos: tudo o que você sempre quis saber sobre esse período de tantas mudanças no corpo da mulher