Doenças de Verão: dengue, a crise que tem data marcada no calendário e sempre surpreend

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Doenças de Verão: dengue, a crise que tem data marcada no calendário e sempre surpreende

Date December 7, 2017 13:23

Ano após ano a dengue toma o Brasil inteiro em alerta. À medida que janeiro vai se aproximando, os encarregados pela saúde pública do país já começam a se preocupar com os índices sempre se superando.

Atualmente, com o aumento de doenças que podem ser transmitidas pelo Aedes Aegypti, o problema parece ser ainda mais assustador. Mas apesar da doença acompanhar o verão, sua erradicação deve ser feita muito antes do aumento das temperaturas.

Por que a dengue acontece no verão?

O verão possui a combinação perfeita para a procriação do mosquito, que é a presença de calor e chuva. A chuva aumenta os reservatórios para a reprodução do mosquito e o verão traz a temperatura ideal para que isso ocorra.

Mas de nada adianta correr atrás do prejuízo na hora que o verão chegar, muito menos quando os índices de pessoas infectadas estiverem despontando a cada dia nos jornais brasileiros. E só conseguiremos erradicar essa maldição de mosquito depois que tornarmos as medidas de prevenção um hábito diário de nossas vidas.

Você já deve estar cansado de saber, mas não custa lembrar...

O que é a dengue, afinal?

A dengue é uma doença infecciosa causada por um vírus presente, principalmente, em áreas subtropicais e tropicais. O vírus infecta o ser humano através do mosquito transmissor, o famoso Aedes Aegypti, que foi trazido da África para a América do Sul na época colonial, através dos antigos navios negreiros e que também transmite doenças como a zika e a chikungunya.

Pessoas com a doença costumam ter os seguintes sintomas:

  • febre alta;
  • dor de cabeça;
  • dor atrás dos olhos;
  • dor nas costas;
  • manchas vermelhas na pele (em alguns casos).

Veja também: Febre amarela: doença voltou a preocupar depois de ser identificada em regiões de São Paulo

Esses são os sintomas de uma dengue comum, no entanto, se após o quinto dia de infecção a pessoa começar a ter sangramento e choque, pode ser considerado que ela está com a "dengue hemorrágica".

Os especialistas apontam que um dos problemas do vírus é que ele possui 4 variações, ou seja, o ser humano pode ser infectado 4 vezes. Por exemplo, se a pessoa teve dengue com o vírus tipo 1, ela ainda poderá ser infectada novamente pelo vírus se ele for do tipo 2, 3 ou 4. Aumentando assim as chances de reincidência da doença. E, a cada novo vírus contraído, os sintomas ficam mais severos.

Como prevenir a proliferação do mosquito da dengue?

Todos as precauções e cuidados são cansativamente compartilhados por veículos de notícias, internet e panfletos informativos, mas nunca é muito relembrar. Portanto preste atenção no informativo abaixo e compartilhe-o com mais pessoas.

Já passou da hora de liquidarmos esse mosquito.Todos precisam estar atentos às causas para que os cuidados sejam providenciados, só assim essa batalha será vencida.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Doenças de Verão: a melhor forma de prevenir e tratar a conjuntivite


O propósito deste artigo é meramente informativo. Não há intenção de oferecer recomendações médicas. Fabiosa não é responsável por possíveis consequências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, alteração alimentar, ação ou uso de medicamentos resultantes da leitura e das instruções contidas neste post. Antes de começar qualquer tratamento, consulte um médico. As informações acima não substituem um diagnóstico a ser realizado por uma equipe de profissionais preparados.