Garoto autista de 4 anos conhece seu novo cão de serviço

ANIMAIS

Garoto autista de 4 anos conhece seu novo cão de serviço

Date November 23, 2017 15:57

Uma mãe de Nova Jersey não poderia esconder a sua felicidade ao ver o seu filho de 4 anos de idade e autista conhecendo o seu mais novo cão de serviço.

O longo tempo de espera, dois anos, finalmente chegou ao fim e Ethan, o garoto, não fazia ideia que estava prestes a conhecer o seu novo melhor amigo, um Golden Retriever chamado Yazzie.

Margaret sabia que tudo se tratava de um momento especial e então pediu ao Departamento de Bombeiros de Mount Vernon e ao Departamento de Polícia de Harding Township para que fizessem a "entrega" do animal.

Inside Edition / Youtube

Ambos os departamentos, juntamente com a comunidade, ajudaram com os esforços de angariar fundos para que a família conseguisse pagar o cachorro. Para se ter uma ideia, cães de serviço custam quase US$ 60.000.

"Eu acho que eu posso comparar esse momento ao dia do casamento. Se você pensar sobre quanto tempo de esforço e planejamento para culminar nesse grande dia", disse a mãe.

Veja mais: Autismo: transtorno pode acontecer entre o segundo e o terceiro mês de gestação

Ethan, que também tem hiperatividade e déficit de atenção, mal consegue falar. "Agora ele fala 130 palavras e está começando a fazer frases de 2 a 3 palavras, mas uma típica criança de quatro anos de idade já possui um vocabulário de 1600 palavras", disse.

Inside Edition / Youtube

Margaret também conta que a presença do cachorro promete tranquilizar a vida do pequeno Ethan. Já é cientificamente comprovado que o desenvolvimento de crianças autistas acompanhadas por um cachorro de serviço é maior do que as que não possuem essa possibilidade.

"O cão está lá para fazer o que for necessário para ser aquele companheiro de Ethan e para ajudá-lo a se acalmar", finalizou a mãe.

Confira agora esse momento incrível no vídeo:

Tanto Ethan quanto Yazzie parecem estar contentes com a nova amizade, não é?

Recomendamos para você: Novas pesquisas confirmam: autismo tem origem principalmente genética