Alerta aos pais: a onda de desafios online coloca em risco a

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Alerta aos pais: a onda de desafios online coloca em risco a vida de crianças

Date February 10, 2018 19:31

Essa semana, a notícia da morte de uma menina de apenas sete anos depois de inalar um desodorante aerossol chocou o país. Adrielly Gonçalves foi mais uma dessas crianças que se envolvem na onda dos desafios digitais radicais e que estão colocando em jogo a vida de muitas crianças e adolescentes.

Yiorgos GR /Shutterstock.com

Os pais e profissionais de saúde estão ficando preocupados. Há alguns meses, surgiu a onda do jogo da baleia azul no Facebook, que consistia em automutilação e foi responsável pela morte de jovens no Brasil e no mundo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 7 lições que as crianças devem aprender por si mesmas antes de completar 13 anos

Agora, está em alta o desafio do desodorante, que consiste em inalar o aerossol e começa a contagiar crianças e adolescentes. Existem ainda os desafios do desmaio e do jogo da asfixia.

E parece que essa onda não para por aí.

Existem outros desafios postados por Youtubers que vão ganhando milhões de visualizações e podem ter a adesão de crianças e adolescentes, principalmente aqueles que já apresentam alguma pré-disposição emocional à depressão ou à ideação suicida.

Uber Images / Shutterstock.com

De acordo com a ONG DimiCuida, que visa aumentar a conscientização sobre os perigos desses jogos, geralmente essas crianças entram no desafio por convite de amigos e as visualizações aos vídeos estão aumentando drasticamente no Brasil e no mundo. Geralmente, o resultado é muito prejudicial, podendo levar a lesões permanentes e até mesmo levar a óbito.

A ONG alerta que alguns jogos que podem em um primeiro momento dar impressão de serem inocentes podem gerar consequências graves.

goodluz / Shutterstock.com

Os profissionais de saúde orientam os pais que acompanhem cada vez mais de perto as atividades online de seus filhos. Quanto menor a idade, maior a atenção. A idade orientada para acesso ao Whatsapp é de 16 anos e 13 anos para o Facebook.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Alerta: crianças podem apresentar colesterol e triglicérides acima da média