UNICEF tem ótimas notícias: 25 milhões de casamentos infa

INSPIRAÇÃO

UNICEF tem ótimas notícias: 25 milhões de casamentos infantis pararam nos últimos 10 anos!

Date March 19, 2018 14:37

Todos nós sabemos as más notícias: muitas garotas ainda são forçadas a casar cedo. A boa notícia é que existe uma rede global de campeões da comunidade, legisladores, organizações e jovens que mudam comportamentos e mantêm as meninas à salvo do casamento infantil.

A UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) faz parte dessa rede e durante anos, realizou campanhas de educação, ajudou governos a tornarem ilegal o casamento infantil, apoiou as vítimas de violência e criou grupos de jovens que criaram mudanças em suas próprias comunidades.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Brasileira passa um ano na África para ajudar a mudar escola que convive com pobreza e punições físicas

O trabalho da instituição está dando resultados. Na última década, a comunidade global levou a uma queda de 15% nas meninas que se casaram cedo demais. O que já foi uma realidade horrível para uma em cada quatro meninas ao redor do mundo agora prejudicará milhões menos a cada ano.

No sul da Ásia, a taxa de casamento infantil caiu mais de um terço - de quase 50% para 30%. Na Índia, onde as taxas de educação das meninas aumentaram e o governo investiu mais nos jovens e dirigiu campanhas contra o casamento entre crianças, o número de meninas que se casaram quase diminuiu à metade.

Dia do casamento de Sonamoni, de 13 anos

Casamento precoce pode significar uma vida de perigo e desvantagens para as meninas.

O dia do casamento de Sonamoni foi um de seus últimos dias de liberdade. De pé no altar em sua aldeia em Bangladesh, ela sabia que estava prestes a deixar o conforto e o apoio de sua família.

Ela seria retirada da escola, obrigada a abandonar seus sonhos e pressionada a ter um bebê com apenas 13 anos, antes que seu corpo estivesse pronto. "Passei três meses no hospital após o parto devido ao sangramento", contou a adolescente à UNICEF.

Sonamoni não tinha idade suficiente para ter um bebê - nem fisicamente, nem emocionalmente - mas ela mal tinha uma escolha. Ela agora é mãe e mulher quando merecia estar na escola, rindo com os amigos e construindo o futuro que deseja.

A história de Sonamoni é chocantemente comum. Cerca de 650 milhões de mulheres vivas hoje foram casadas quando ainda eram crianças, tornando-as mais propensas a:

- Saírem da escola cedo e sem se formar;

- Serem abusadas por seus parceiros;

- Darem a luz antes de completar 18 anos;

- Sofrerem complicações durante a gravidez; e

- Experimentar e continuar a pobreza intergeracional.

Ao deixarmos as garotas crescerem seguras, irem à escola e escolherem por si mesmas, o mundo seria um lugar diferente: as mulheres teriam a educação e a liberdade de se libertar da pobreza, menos garotas morreriam dando à luz e seus bebês seriam mais saudáveis e mais propensos a sobreviver à infância. Quando as meninas podem ser meninas, todos ganham.

É possível vencer o casamento infantil?

Toda vez que um casamento infantil é impedido, outra garota tem a chance de cumprir seu potencial. 12 milhões de meninas ainda serão casadas em 2018. O mundo se comprometeu a acabar com o casamento infantil até 2030 e para que esse Objetivo Global seja atingido, é preciso acelerar ainda mais o progresso.

Assista ao vídeo abaixo, é chocante:

Parar o casamento infantil é preciso e é possível. Baixe o aplicativo da UNICEF "Proteja Brasil" ou ligue para 100 e denuncie casos de abusos contra criança e adolescente e ajude o mundo a se livrar desse absurdo!

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Esta indiana de apenas 13 anos conseguiu impedir seu próprio casamento