Farmácias têm permissão da Anvisa para aplicação de vacinas

Saúde e Estilo de Vida

Uma nova resolução vai tornar a Saúde Pública um pouquinho menos burocrática. Levar os filhos nas Unidades Básicas de Saúdes ou nos postinhos perto de casa às vezes se configurava um estresse por conta da demora no processo.

Agora as farmácias irão participar ativamente nesse processo de imunização nacional. É sabido que em alguns locais do país essa prática já ocorre desde 2014, ano em que a lei foi aprovada. Mas, a regulamentação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) só aconteceu no dia 12 de dezembro de 2017.

gettyimages

Isso significa que essa prática está liberada em todo o território nacional. A Anvisa publicou uma nota, explicando que agora há uma segurança jurídica é bem impactante e que haverá uma apoio maior das instituições:

O texto diz que "as vigilâncias sanitárias das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde poderão exercer a fiscalização a partir de norma mais objetiva e uniforme quanto às diretrizes de Boas Práticas em serviços de vacinação, independentemente do tipo de estabelecimento”.

Os médicos não gostaram da ideia

gettyimages

VEJA TAMBÉM: Seis crenças populares sobre a vacinação das crianças que devem ser erradicadas por completo 

O grande problema é que as vacinas constantes no Calendário Nacional de Imunização poderão ser ministradas diretamente por um farmacêutico sem que a pessoa passe pelo médico. Essa abertura deixou a classe incomodada. Mas, uma série de pré-requisitos que um estabelecimento desses precisará atender para funcionar de acordo com a lei.

Para quem não sabia, em 4 estados esse serviço já vem sendo praticado (Brasília, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e São Paulo)

Lei da oferta e procura

gettyimages

Sergio Mena Barreto, presidente executivo da Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), disse em declaração ao Viver Bem, que todo esse processo é bom para o consumidor final, pois com mais disponibilidade do produto é natural que os preços caiam

“O preço de venda da vacina da gripe hoje fica em torno de R$ 40. Tem laboratório que cobra até R$ 180. Vacina é algo que pode baixar o custo e a pessoa tem o acesso garantido pela farmácia. É muito provável que a vacina, na farmácia, custe metade do preço do que cobraria um laboratório ou clínica”.

Garante, Sergio.

Ao menos parece uma notícia bem interessante no meio de tantas que surgem para nos preocupar.

Fonte: Gazeta do Povo

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Cientistas brasileiros criam vacina contra dependência química e são premiados


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.