Cabra Sofia veste calça comprida e ouve histórias para dor

ANIMAIS

Cabra Sofia veste calça comprida e ouve histórias para dormir. Ela é tratada como filha em Mossoró

Date February 20, 2018 15:28

Provavelmente você já ouviu falar da expressão “cabra da peste”. Ela é de origem nordestina e tem mais de um significado, mas o que se tornou mais popular é aquele que afirma tratar-se de um indivíduo forte, que sobrevive a muitas dificuldades.

Em várias casas do sertão você encontrará homens com essa qualidade, que lutam contra a seca para dar sustento à família. Na própria cidade de Mossoró, no Rio Grande do Norte, existe uma cabra da peste entre seus familiares, mas, nesse caso, a cabra não é um humano, e sim o animal propriamente dito.

Esse é um caso verídico e pode ser confirmado na casa da Dona Maria de Fátima Etelvino. Nessa família, a cabra é criada não como um animal, nem mesmo como um bicho de estimação, mas como uma verdadeira filha.

Desde quando ganharam a cabra de presente de um amigo, a senhora dona da casa e seu marido, Erinaldo Etelvino, tem um carinho especial pela cabra, que atende por Sofia. Ela tem suas próprias roupas, toma banho todos os dias, vai à praia, assiste à TV com a família e ainda escuta histórias antes de ir para a cama.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: A única coisa que acalma a crise de ansiedade dessa cabra é… Uma fantasia de pato!

Erinaldo ainda mostra ser um “pai” atencioso:

Hoje ela representa igual um ser humano, porque quero bem demais. Eu to (sic) no trabalho e ligo: cadê sofia? já tomou leite?

Os irmãos também dão tratamento especial à cabra. André Etelvino, de 11 anos de idade, conta que ele e o irmão sempre brincam com Sofia depois que terminam os deveres da escola. E ainda são os responsáveis por colocar a “irmã” para dormir.

Falando em dormir, Erinaldo revela que de vez em quando é acordado por Sofia, para que ele ponha nela uma fralda e só depois ela consegue sossegar. O vestuário da cabra não pára por aí: ainda tem calcinha estilizada, calça comprida e uma toalha própria.

Ele também faz questão de declarar seu apreço pela “filha”:

Eu crio porco, galinha… agora o privilégio é Sofia! Toda vida criei (animais), mas não tinha esse xodó todo que tenho com ela, não.

Gato, cachorro, galinha ou cabra… o importante é cuidar e querer bem.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: A inusitada história de Arthur e sua galinha de estimação