“Nossa Voz Ecoa”: conheça a história de Preta-Rara, ex

“Nossa Voz Ecoa”: conheça a história de Preta-Rara, ex-doméstica que virou rapper, professora de História e protagonista de websérie

Inspiração

March 8, 2018 17:54 By Fabiosa

A história de Preta-Rara começa como muitas outras histórias de mulheres negras que vivem nas periferias. De origem pobre, ela foi doméstica por sete anos. Mas, diferentemente de outras, ela resolveu denunciar na internet os abusos que sofria de sua patroa e foi assim que ganhou reconhecimento e ajudou muitas outras garotas a também serem ouvidas.

Ela deu início à campanha #EuEmpregadaDoméstica em 2016, como forma de desabafo, mas acabou viralizando e resolveu criar uma página no Facebook. Em menos de quatro meses, ela foi chamada para compartilhar sua experiência na TedX São Paulo, conferência que discute temas de relevância social.

No seu tempo de doméstica, ela conciliava o trabalho com os estudos. Chegou a ouvir de sua patroa: “Menina, presta atenção, sua avó não foi doméstica? Sua mãe também? Então. Você tem que ser feliz servindo”.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Jovem do Piauí está entre as únicas mulheres negras diplomatas no Itamaraty

Depois que virou professora de história e rapper, ela conseguiu melhorar um pouco de vida e alugou um apartamento em um prédio de frente para o mar. E ainda assim, ela vivenciou o preconceito na pele, quando uma vizinha chegou a comentar no elevador: “Nossa, que dia cansativo, que bom que você já está indo embora, né?”. Sem entender nada, Preta questionou e a mulher respondeu: “Você não trabalha aqui?”. A vizinha pressupôs que Preta era doméstica.

Todos esses episódios da vida de Preta são retratados na websérie “Nossa Voz Ecoa”, programa que conta com dez episódios quinzenais. A série, que conta com participações de Criolo e MC Soffia, promete cutucar preconceitos e tabus da sociedade, como racismo, machismo e gordofobia.

A rapper, que acabou deixando o cargo de professora para se dedicar à música, realizou a Ocupação GGG, encontros na praia entre mulheres gordas para discutir sobre autoestima e questionar padrões de beleza. Ela afirma que tinha vergonha do seu corpo e abriu mão de várias coisas por esse medo. A iniciativa também virou parte da série.

Outra iniciativa da cantora que é apresentada em sua série é Hip Hop Resiste, que aborda a importância do movimento como valorização da cultura da periferia e destaca a participação feminina.

Autoestima, valorização da cultura negra e feminismo. Com essas bandeiras, Preta-Rara serve de inspiração para a autoafirmação de muitas outras meninas e mulheres, da periferia ou não, mas que seguem juntas nessa luta pelo seu empoderamento.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Ela ganhou o título de “Rainha da Escuridão” e quer encorajar meninas negras a se orgulharem do seu tom de pele