De nunca usar meias a dormir mais de 10 horas por dia: o que

De nunca usar meias a dormir mais de 10 horas por dia: o que os hábitos excêntricos de Einstein dizem sobre sua genialidade

Notícias

June 16, 2017 11:23 By Fabiosa

Existe um senso comum que diz que a genialidade é uma herança genética, mas pesquisas recentes já comprovaram que 40% dos fatores que diferenciam um sujeito extraordinário de uma pessoa com inteligência regular está muito mais ligado ao ambiente que aos genes. Acredite ou não, alguns hábitos diários realmente têm o poder de moldar a estrutura do nosso cérebro.

Wikimedia

Por isso, que tal seguir os costumes de Albert Einstein, um dos maiores gênios da humanidade? Sua figura excêntrica é mundialmente conhecida e sua rotina bem peculiar pode ter colaborado bastante para o sucesso do desenvolvimento do seu trabalho. Então, vai seguir esses rituais?

1) 10 horas de sono e cochilos regulares

Já sabemos que o corpo precisa descansar e que o recomendável são 8 horas de sono diárias. Porém, Einstein ultrapassava frequentemente esse tempo. O autor John Steinbeck disse certa vez: "É uma experiência comum que um problema difícil de noite seja resolvido pela manhã depois que o comitê de sono trabalhou nisso". E, de fato, muitos avanços na história da humanidade, incluindo a tabela periódica, a estrutura do DNA e a teoria da relatividade especial de Einstein, aconteceram enquanto o descobridor esta inconsciente. Diz a lenda que a revelação (sobre a teoria da relatividade) de Einstein veio durante um sonho com vacas sendo eletrocutadas.

2) Caminhadas diárias

O passeio diário de Einstein era sagrado para ele. O cientista fazia uma caminhada de pouco mais de 2 kms e voltava, seguindo os passos de outros gênios como Darwin, que caminhava durante 45 minutos todos os dias. Isso, obviamente, não é apenas um esforço físico. A ciência comprova que caminha pode aumentar a memória, criatividade e a capacidade de resolver problemas.

3) Comer macarrão

Rodrigobark/ Shutterstock

O que os gênios comem? Einstein adorava um bom spaguetti! Apesar da péssima fama dos carboidratos, para o cérebro esse tipo de alimento pode não ser tão ruim. O cérebro consome 20% da nossa energia e, assim como o resto do corpo, prefere se nutrir de açúcares simples, como a glicose extraída dos carboidratos. Os neurônios exigem um suprimento potente é só aceitam outras fontes de energia quando está realmente necessitado. Quer melhor desculpa para comer sem culpa aquele prato de macarronada?

4) Não usar meias

A aversão de Einstein às meias era tão grande que ele escreveu certa vez em um carta para Elsa, sua esposa: "Quando eu era jovem descobri que o dedão sempre acaba fazendo um buraco na meia. Então, parei de usar meias". Infelizmente, não existe nenhum estudo científico que relacione a inteligência a esse hábito, mas fica aí mais uma particularidade desse homem brilhante.

Recomendada para você: Mestres da preguiça ou gênios da criatividade? Essas imagens vão te fazer pensar nisso