Mulher processa gigante de cosméticos por acreditar que con

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Mulher processa gigante de cosméticos por acreditar que contraiu herpes labial ao provar um batom

Date November 2, 2017 17:47

Todo mundo espera um visual diferente quando usa maquiagem, mas uma americana está processando a gigante da beleza, Sephora, por uma transformação nada agradável: ela alega ter contraído herpes labial ao provar uma amostra de batom em um das lojas da rede.

Belchonock / Depositphotos.com

De acordo com uma ação judicial aberta no Tribunal Superior da Califórnia, no condado de Los Angeles, Elena Davoyan alega ter contraído a infecção pelo vírus em 2015. No processo, ela afirma nunca ter tido herpes ou feridas na boca antes e ressalta que a loja encoraja os clientes a experimentar as amostras de maquiagem sem alertá-los sobre os possíveis riscos para a saúde.

Veja também: Dicas para encontrar o seu batom perfeito

Ela pede 25 mil dólares (algo em torno de R$ 79,7 mil) pelos danos emocionais causados pela doença e quer que a empresa avise e proteja os seus consumidores daqui pra frente com relação a isso.

Mysticlight / Depositphotos.com

Em comunicado enviado ao Today, a Sephora disse que "a saúde e segurança dos clientes é a sua maior prioridade"

"Embora seja nossa política não comentar litígio, levamos a sério a higiene do produto e nos dedicamos a seguir as melhores práticas em nossas lojas".

Os especialistas confirmam que, efetivamente, a maquiagem pode abrigar germes, que se desenvolvem na superfície do batom e se espalham através do contato com o corpo. Por outro lado, pesquisas afirmam que de 50% a 80% dos adultos carregam o vírus da herpes labial, portanto, a infecção pode não ter sido contraída no momento do teste do produto na loja.

SergIllin / Depositphotos.com

Pelo jeito, essa disputa vai longe. De qualquer forma, tente evitar o risco de contágio aplicando o batom nas mãos ou na gema do dedo, que tem uma cor bem parecida com a dos lábios.

Recomendamos para você: Herpes oral: sintomas, gatilhos e quando procurar um médico