Ela já viveu em mais de 28 orfanatos e hoje ensina programa

INSPIRAÇÃO

Ela já viveu em mais de 28 orfanatos e hoje ensina programação para crianças; conheça a incrível história de Mariéme Jamme

Date March 8, 2018 18:03

Mariéme Jamme nasceu em 1974 no Senegal e foi abandonada por sua mãe aos cinco anos e viveu em mais de 28 orfanatos na cidade de Dakar. Depois de tanto tempo em orfanatos, acabou sendo separada de seu irmão gêmeo.

Com 14 anos, Meriéme foi traficada para a França onde foi abusada, viveu nas ruas e em estações de metrô. Mesmo nesse momento da vida onde não parecia haver uma luz no fim do túnel, ela seguia acreditando em uma mudança.

They are the future of Africa! #iamtheCODE

Uma publicação compartilhada por Marieme Jamme (@mjamme) em

Aos 16 anos ela foi mandada para um centro de refugiados pela policia francesa, onde aprendeu a ler e escrever. Três anos depois, foi para a Inglaterra por meio de um programa de transferência de refugiados. No novo país, Mariéme trabalhou fazendo faxina e em um supermercado. Em seus momentos de folga, ela ia para a biblioteca estudar.

Desde o início, ela se mostrou muito interessada pelos números, o que acabou contribuindo para sua contratação por um banco pequeno de Londres e depois, um banco grande. Um dia, ao ser chamada na sala de seu chefe, Mariéme pensou que seria demitida.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Elas são caminhoneiras youtubers e retratam suas rotinas e desafios nas estradas

Alguém que passa por todas as coisas que ela passou sempre espera pelo pior. Mas algo muito diferente aconteceu. Seu chefe disse que, graças aos cálculos que ela vinha fazendo, seu banco havia lucrado muito dinheiro e ela recebeu uma boa recompensa pelo serviço.

Depois de trabalhar na Oracle, ela decidiu fundar sua própria empresa de tecnologia. Mesmo com tudo que foi alcançado, ela não consegue se esquecer de tudo o que passou e não aceita que outras meninas ainda estejam passando pelas mesmas coisas. Para tentar acabar com essa situação, Mariéme fundou o movimento “I Am the Code” com o objetivo de ensinar programação a 1 milhão de meninas Africanas e de todo o mundo até 2030.

Mariéme é um exemplo de superação e união que deve sempre ser cultivada entre as pessoas.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Conheça a história de Tia Ciata, símbolo da luta dos negros e dama do samba carioca