Artista mirim faz sucesso com suas telas e doa valor da venda para hospital

Notícias

November 3, 2017 12:43 By Fabiosa

É desde muito cedo que observa quando a pessoa tem talento para a arte, e principalmente, quem tem solidariedade no coração.

Aaron Barrios, de seis anos é um deles. Ele impressiona com suas pinturas abstatras. Uma das telas foram leiloadas e ele doou a verba para o Centro Infantil Boldrini, especializado no tratamento de câncer.

Recomendado para você: 5 dicas para ajudar a criança a lidar com o medo

É até difícil de acreditar, mas Aaron começou a desenhar pessoas com contornos definidos já com um ano e meio. Com dois anos fez sua primeira tela com tinta guache. Ele já contabiliza 200 obras produzidas e em exposição e realizou o primeiro leilão. Ele conseguiu leiloar seu quadro chamado de “Cachoeira”, que doou ao hospital e doou a tela chamada de “O Saxofone”, com verba para a ONG Corporação Musical.

Aaron por enquanto vende postais e pretende continuar apoiando algumas causas que acredita.

Aaron quando não está pintando gosta de andar de bicicleta e brincar de carrinho. Também toca violino.

Em seu Instagram, Aaron é descrito como Digital inflluencer, pintor, músico e criança e já acumula mais de nove mil seguidores e contabiliza 250 publicações.

Raining Colours in progress #arcoiris#rain#colours#rainbow#happy#art#kids#artist#love#arte#brasil #artroomslondon#London

Uma publicação compartilhada por #AaronBarrios (@aaronpbarrios) em

Isso mostra que Aaron é um sucesso já com seu talento precoce. Aaron é filho único, nasceu em Campinas, São Paulo. Ele é considerado um menino prodígio. Foi para a escola com cinco anos, mas já fazia cálculos, já se comunicava de diferentes formas e já falava inglês e alemão que aprendeu com os pais e espanhol, que aprendeu em livros.

A família tem um dom artístico passado de geração para geração: o tio é escultor, outro ilustrador, o pai era pintor e a avó era professora de arte.

Fonte: Razões para Acreditar

Veja mais: Mulher processa gigante de cosméticos por acreditar que contraiu herpes labial ao provar um batom