Filha de pais africanos, estudante fica sem acompanhante par

FAMÍLIA & CRIANÇAS

Filha de pais africanos, estudante fica sem acompanhante para sua formatura e sua reação foi surpreendente

Date September 17, 2017 21:25

O que você faria se conseguisse ser aprovada em sete das oito universidades mais importantes dos Estados Unidos, inclusive Harvard? No mínimo pularia de alegria, não é?

E se na sua formatura de Ensino Médio, um evento de grande prestígio e pressão social, você não tivesse nenhum acompanhante? Triste isso né?

Mas você deve estar se perguntando: o que um fato tão bom tem relação com um acontecimento tão ruim?

É que muitas vezes, quando acontece algo ruim na vida da pessoa, ela se abala e por vezes ofusca tudo de maravilhoso que pode ter acontecido antes.

Mas não com Priscilla Samey. Senso de humor, inteligência emocional ,autoestima e segurança são atributos que ela tem de sobra.

Ao perceber que ela não teria um acompanhante para a sua festa de formatura, qualquer garota ficaria arrasada.Priscila decidiu quem a acompanharia: a carta de aprovação da Universidade de Harvard.

Ela foi a primeira aluna da sua escola, Brooklyn Park, no Estado de Minnesota a entrar em Harvard.

Essa atitude viralizou e os internautas a parabenizaram em dose dupla: por ter sido aprovada em Harvard e por ter encontrado uma solução tão criativa para o baile de formatura.

Priscila tem a força de superação no sangue.

Ela é filha de Africanos. Os pais são médicos, imigrantes do Togo. Ela faz parte da primeira geração nos Estados Unidos. Sua história familiar envolve preconceito e dificuldades financeiras.

O pai, médico com PhD, não conseguiu trabalhar com sua profissão pela sua origem e seu sotaque e trabalha como segurança. Os desafios deram mais força e motivação para Priscila se esforçar e vencer e pelo visto, ela está conseguindo. Parabéns Priscila.

Recomendado para você: Ela se recusou a desistir de seu bebê com “deficiência intelectual”. Em breve, ela irá participar da graduação de seu filho em Harvard!