Pesquisa comprova que a gravidez altera o cérebro da mulher

Pesquisa comprova que a gravidez altera o cérebro da mulher

Notícias

January 23, 2018 13:22 By Fabiosa

Esquecimento, falta de concentração, lentidão no raciocínio e dificuldade para tomar decisões. Estes são alguns dos “sintomas” conhecidos e relatados por muitas mulheres depois que engravidam.

HQuality / Shutterstock.com

Em inglês, essas características têm um nome: “baby brain” ou “cérebro de bebê”. Mesmo tendo um nome, essa situação levantava ainda debates na comunidade científica e muitos desmentiam essa teoria. Agora, a Universidade de Deakin comprovou.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ:  1 é bom, 2 é incrível! Em sua segunda gravidez, Andressa Suita fala sobre os sintomas de enjoo e tontura

Eles realizaram um estudo com 709 mulheres gestantes e 501 que não estavam grávidas e testaram a condição cognitiva destas mulheres. A pesquisa concluiu que as grávidas apresentaram desempenho inferior na atenção, escolhas, planejamento e memória.

Africa Studio / Shutterstock.com

O estudo também descobriu que a alteração cerebral acontece de diferentes formas e em períodos diferentes. Os primeiros três meses é o período de maior declínio cognitivo e depois até o parto as mudanças começam a estabilizar.

A má notícia é que existe sim uma perda de massa cinzenta no cérebro quando a mulher engravida. A boa notícia é que essa massa cinzenta se recupera após dois anos do parto.

Outras pesquisas também identificaram que o cérebro diminui significativamente de tamanho. Essas mudanças seriam justamente para a mulher ficar mais atenta às necessidades do seu filho e mais ágil ao identificar possíveis riscos e ameaças para o bebê.

g-stockstudio / Shutterstock.com

O estudo também identificou que as grávidas se esquecem das coisas, de fato, e estão mais sensíveis e emotivas.

As mudanças acontecem por conta de uma avalanche de hormônios e a mudança é tão marcante que os médicos comparam com as mudanças na adolescência.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ:  O quanto de peso adquirido na gravidez é demais? Confira 5 dicas para manter o equilíbrio nesse período


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.