Ter um emprego ruim faz mais mal para a saúde do que ficar

Ter um emprego ruim faz mais mal para a saúde do que ficar desempregado, afirma Estudo

Notícias

February 7, 2018 13:10 By Fabiosa

A preocupação, o medo, a insegurança, o estresse, a pressão, o cansaço físico e mental... essas são características que afetam diretamente a saúde. Esses sintomas geralmente aparecem quando existe o desemprego e pode vir acompanhado de um estresse crônico, que prejudica a saúde e toda a relação familiar e social.

Franz Pfluegl / Shutterstock.com

O desemprego, principalmente em épocas de crises econômicas, pode parecer assustador em alguns momentos.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Médica mineira dispensa casamento e oferta de emprego em Miami para cuidar de doentes na Àfrica

Nestes casos, quem tem um emprego, mesmo estando insatisfeito ou infeliz pode querer mantê-lo justamente pelo medo de ficar desempregado. Mas nem sempre é a melhor escolha.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade de Manchester, na Inglaterra, ficar em um emprego considerado “ruim” pode ser muito mais prejudicial para a saúde do que ficar sem um emprego, porque gera um estresse crônico que a longo prazo pode resultar em inúmeras doenças.

imtmphoto / Shutterstock.com

Para chegar a essa afirmação, foram analisados mais de mil adultos britânicos desempregados entre 2009 e 2010. Os sociólogos perceberam que entre essas pessoas, aquelas que conquistaram uma boa colocação melhoraram a saúde mental.

Em contrapartida, os que ficaram em empregos com baixos salários, ambiente instável ou hostil, apresentaram um índice de estresse muito maior do que aqueles que permaneceram desempregados.

tommaso79 / Shuttertock.com

Ao continuar monitorando níveis glicêmicos e hormonais e outros indicadores, os sociólogos chegaram à conclusão que o esforço utilizado para se manter em uma atividade profissional difícil é bem maior do que a energia utilizada para conquistar um novo emprego.

Diante desta descoberta, vale à pena sempre observar o nível de felicidade no trabalho e como isto está afetando sua saúde.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Um estudo encontrou os 6 empregos com a maior taxa de divórcio por ano


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.