Pais iam desligar os aparelhos que mantinham seu bebê vivo,

Pais iam desligar os aparelhos que mantinham seu bebê vivo, mas minutos antes de darem adeus, ele começou a responder!

Celebridades

April 6, 2018 01:12 By Fabiosa

A história aconteceu há dois anos, mas o teor milagroso de como esse bebê voltou à vida em um dia de Páscoa faz com que ela seja sempre lembrada e comemorada.

Era o Natal de 2015 quando o bebê Dylan começou a demonstrar alguns sintomas de que algo estava errado em seu corpo. O que começou com alguns sintomas de gripe, evoluiu para uma série de convulsões que depois chegou no terrível diagnóstico de câncer de pulmão.

Kerry e Mike Askin, os pais, começaram o longo processo de tratamento do pequeno Dylan, mas o estado de saúde do filho só piorava e foi então que, na Páscoa de 2016, quando Dylan já estava há algum tempo de coma e seus órgãos só estavam piorando, foi tomada a decisão de desligar os aparelhos que mantinham o pequeno menino vivo.

E então, prestes a realizar o procedimento, pais e médicos perceberam que precisavam aumentar a dose de sedação do garoto e, surpreendentemente ele começou a responder. Segundo publicação da mãe, a sutil melhora do filho fez com que os médicos passassem a questionar tudo e foi então que novos exames mostraram que seus órgãos não estavam tão ruins quanto os outros parâmetros e decidiram tentar por mais tempo.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Milagres existem de verdade: homem acordou depois de um mês em coma, dois dias após os aparelhos que o mantinham vivo terem sido desligados

E inacreditavelmente Dylan melhorou. Acordou do coma e em poucos dias pôde voltar para casa com sua família. "Eu não sou muito religiosa, mas eu realmente acredito que o que aconteceu com meu filho foi um milagre", contou a mãe na época.

Hoje, dois anos depois, Dylan ainda possui o câncer que, por ser um tipo raro, faz com que o próprio corpo transforme as células boas em cancerígenas. Então, quando questionada sobre se o seu filho ainda tem câncer, Kerry diz: "Tecnicamente ele sempre terá e nunca entrará em remissão", por agora, a doença está classificada como "não-ativa", mas além de ter causado danos permanentes no pulmão da criança, ela ainda pode ser ativada a qualquer momento e sem motivo conhecido pela ciência ainda.

A história foi lembrada recentemente pois o hospital em que Dylan foi tratado fez uma campanha de páscoa para receber doações e trouxe todo o caso à tona novamente. De qualquer forma é uma lição de esperança a qualquer pessoa e esperamos que Dylan continue vencendo essa batalha diária que trava contra uma das doenças que mais matam nesse século.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Milagre salvou família que estava dentro de um carro prensado por um caminhão em acidente: “Algo diferente aconteceu”