Com mais de 100 anos de idade, sobrevivente do holocausto encontra sobrinho

Eliahu Pietruszka é sobrevivente do Holocausto. Fugiu da Polônia durante a Segunda Guerra Mundial e, pouco tempo depois de completar 102 anos de idade, morando numa casa de repouso deu um abraço amoroso e caloroso num completo desconhecido. O motivo do beijo comovente no rosto daquele recém-chegado era muito especial: ele era Alexandre, o seu sobrinho de 66 anos, e Eliahu já acreditava que toda a família tinha morrido.

Quem promoveu o encontro, na verdade, foi o banco de dados online disponível no memorial do Holocausto de Yad Vashem, em Israel. O encontro raro que fez Alexandre voar da Rússia para encontrar seu tio, pode ter sido o último de seu tipo, pois cada vez mais difícil fica a medida que o tempo passa.

Guardian News / Youtube

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: História extremamente triste de uma sobrevivente do Holocausto que salvou a vida de uma mulher grávida em um campo de concentração apenas com um pedaço de chocolate

"Me deixa tão feliz ver que pelo menos um remanescente permanece do meu irmão, e esse é o filho dele. Depois de tantos anos, me deram o privilégio de encontrá-lo", se emocionou o senhor de um século.

Eliahu fugiu de Vársovia no início da guerra, em 1939, quando tinha 24 anos de idade. Seguiu para a URSS (União Soviética) e, na fuga acabou deixando a família para trás. Volf e Zelig, seus irmãos gêmeos, nove anos mais novos que ele e seus pais.

Ambos os pais e o irmão, Zelig, foram mortos em campo de extermínio nazista. Volf conseguiu fugir e chegou a entrar em contato com Eliahu, mas logo foi capturado pelos russos e mandado para um campo de trabalho na Sibéria. "No meu coração, pensei que ele não estivesse mais vivo", assumiu Pietruszka.

Guardian News / Youtube

O neto de Volf, Shakhar Smorodinsky, professor de 47 anos da Universidade Ben-Gurion, no Sul de Israel acabou recebendo um e-mail do Canadá, de um primo seu que estava levantando a árvore genealógica e acabou descobrindo a página do Yad Vashem e, inclusive, um testemunho de 2005 feito por Volf Pietruszka para Eliahu, achando que o irmão mais velho tinha morrido.

Volf fugiu para os Montes Urais e viveu como trabalhador da construção civil e faleceu em 2011, mas Alexandre, ainda morava lá.

Depois de tantos anos, Eliahu finalmente voltou a falar em russo cheio de amor no coração.

"Você é uma cópia do seu pai. Não dormi por duas noites esperando por você", falou emocionado o senhor, utilizando um andador e um aparelho auditivo.

"É um milagre. Nunca pensei que isso aconteceria", disse Alexandre, que seguiu o caminho do pai e é trabalhador da construção civil aposentado.

Guardian News / Youtube

Pietruszka é microbiologista aposentado que achava não ter mais família e descobriu ser bisavô de 10 pessoas.

"Estou muito feliz. Isso mostra que nunca é tarde demais. As pessoas sempre podem encontrar o que estão procurando se tentarem o suficiente. Eu tive sucesso", disse ele, se tornando motivo de inspiração para todos.

Assista (em inglês) ao momento emocionante do reencontro:

Fonte: O Globo

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: "Eu não sou nenhuma heroína": diz a mulher polonesa que resgatou mais de 2.500 crianças para fora do gueto em maletas de médico durante o Holocausto

Recomendamos