A eclâmpsia na gravidez pode ser bastante perigosa, caso n?

A eclâmpsia na gravidez pode ser bastante perigosa, caso não seja acompanhada por um médico

Família & Crianças

January 23, 2018 13:00 By Fabiosa

A gravidez é um período da vida de uma mulher em que ela sofre com uma série de sintomas, que muitas vezes não faziam parte da vida delas. E a hipertensão é um desses sintomas. Segundo alguns estudos, cerca de 10% das grávidas sofrem com problemas de pressão durante sua gravidez. Em alguns casos, essa hipertensão pode levar à uma doença chamada eclâmpsia.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Família decide trabalhar em conjunto pela saúde. Veja o antes e o depois

Esse mal é uma complicação bastante grave e persistente que costuma acontecer depois das 20 primeiras semanas da gravidez. De acordo com especialistas, a eclâmpsia é menos comum em países desenvolvidos e a taxa de mortalidade chega a até seis vezes mais em países em desenvolvimento.

Shebeko / Depositphotos.com

Uma coisa que poucas pessoas sabem é que existe uma fase que antecede à eclâmpsia, que é chamada de pré-eclâmpsia. Esse estágio atinge entre 2% e 10% das grávidas e é diagnosticado quando começaram a aparecer sintomas de pressão alta repentinamente. O mal é acompanhado por dores de cabeça, abdominal, vômitos, sensibilidade à luz e náuseas.

helenbr / Depositphotos.com

A pré-eclâmpsia é apontada como uma das principais causas de morte de mulheres grávidas. Ela também é responsável por cerca de 20% dos partos prematuros, 15% das restrições de crescimento intra-uterino e pelo aumento dos casos de mortalidade infantil.

vilevi / Depositphotos.com

Segundo especialistas, as chances de controle da doença são bastante grande quando diagnosticada cedo. Depois de identificada, ela é acompanhada de perto pelo médico, até depois do parto, reduzindo os riscos à mãe e ao bebê.

Então, se você conhece alguma mulher que esteja grávida, aconselhe ela a fazer um acompanhamento mais próximo com seu médico.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: 6 pontos nos pés dos bebês que podem ser massageados para aliviar alguns dos seus mal-estares


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.