Pesquisa revela que nem toda gestante com zika tem filhos co

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

Pesquisa revela que nem toda gestante com zika tem filhos com microcefalia

Date February 20, 2018 14:39

Pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP), revelou que nem todas as gestantes com zika acabam tendo filho com microcefalia. O levantamento mostrou que somente de 6% a 12% das crianças de mães com vírus nascem com malformações.

gettyimages

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Crianças com síndrome adquirida pelo Zika vírus ainda estão sem tratamento

De acordo com a pesquisa, os genes das crianças teriam que ter alguma responsabilidade, tornando-as mais ou menos predispostas a nascer com a microcefalia ou outras doenças congênitas como surdez e cegueira.

Em estudo feito pela esquipe da USP, mostrou que um grupo de 60 genes não produziram tantas proteínas quanto deveriam ou seja são mais capazes ao vírus que a média.

gettyimages

Para realizar o levantamento foi meio complexo, pois não tem como comparar dois bebês com a enfermidade. As mães têm sistema imunológicos e gestações diferentes e podem até ter sido infectadas. Com isso, fica praticamente complicado isolar o que pode ser conferido apenas ao DNA de cada bebê. Então o melhor caminho foi comparar gêmeos não-idênticos.

Resumindo, eles não têm o mesmo DNA, mas partilham o restante, como a barriga, ambiente e, no caso, a infecção e o mesmo vírus. Sendo assim um deles nasce com microcefalia e o outro não.

Agora os pesquisadores pretendem levar o sangue dessas crianças para laboratório e usar para gerar as células progenitoras neutrais. Elas são partes do nosso sistema nervoso e, assim que o feto vai desenvolvendo, crescem e se deslocam formando diferentes partes do cérebro. Neste processo, o vírus acaba atuando e evita que essas células reproduzem e se transformam corretamente.

gettyimages

Quando esses genes não atuam com a predisposição necessária, fica mais complicado para o feto desenvolver um cérebro perfeito. Já o vírus faz esse problema aparecer. Caso for desenvolvida uma vacina contra a zika, é muito importante identificar os genes e vacinar a pessoa certa.

Sendo assim, pode ser a largada para possíveis tratamentos contra a zika e suas sequelas.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Celina Turchi: a brasileira que revolucionou a medicina e é uma das maiores cientistas do mundo


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.