A controvérsia sobre treinar em jejum ou não continua

SAÚDE E ESTILO DE VIDA

A controvérsia sobre treinar em jejum ou não continua

Date 22 de novembro de 2017

A definição da palavra “jejum” no dicionário Aurélio é “privação de toda a espécie de alimento durante o dia (ou de outro período de tempo) por espírito de penitência”, mas vale a pena aplicar essa doutrina religiosa no dia a dia e treinar em jejum?

designelements / Shutterstock.com

Há controvérsias e muitos mitos ao redor do tema. Alguns especialistas ainda defendem a ideia de que seria válido treinar de estômago vazio, mas a verdade é que essa teoria começa a cair por terra.

Segundo um recente estudo publicado no Strenght and Conditioning Journal, treinar em jejum não traz benefícios.

A pesquisa realizada com dois grupos de ciclistas, metade que pedalava em jejum e outra metade que comia antes de treinar, mostrou que a parte do grupo que se exercitou sem nada no estômago teve aproximadamente 10% da queima de energia originária de proteínas, ou seja, massa muscular e não de gorduras como querem acreditar os que defendem o teoria de que o treino em jejum é benéfico.

Veja também: 9 coisas a serem evitadas com estômago vazio

Pavel1964 / Shutterstock.com

Existem estudo que afirmam o contrário, mas esses mesmos estudos alertam que a prática do treino em jejum não é indicada para todas as pessoas.

Então, a conclusão é, que pelo menos quando o assunto é atividade física, o melhor é comer uma refeição leve e rica em carboidratos porque serão eles que proporcionaram a energia necessária para que o corpo trabalhe como deve, e se você mesmo assim achara que teria mais ganhos treinando de estômago vazio, consulte um médico antes de fazê-lo.

Umpaporn / Shutterstock.com

Fonte: Blog do Paulo Rocha

Recomendamos para você: A importância de tomar água morna ainda estando em jejum


O propósito deste artigo é meramente informativo. Não há intenção de oferecer recomendações médicas. Fabiosa não é responsável por possíveis consequências de qualquer tratamento, procedimento, exercício, alteração alimentar, ação ou uso de medicamentos resultantes da leitura e das instruções contidas neste post. Antes de começar qualquer tratamento, consulte um médico. As informações acima não substituem um diagnóstico a ser realizado por uma equipe de profissionais preparados.