Se você é do tipo que adora se automedicar, precisa saber

CELEBRIDADES

Se você é do tipo que adora se automedicar, precisa saber o que os especialistas pensam disso

Date April 11, 2018 01:31

Quem nunca tomou algum remédio sem consultar um médico?

Stanislaw Mikulski / Shutterstock.com

Hoje em dia é cada vez mais comum as pessoas se automedicarem. Sem uma consulta prévia com profissionais da área médica, as pessoas costumam tomar medicações indicadas por amigos, familiares ou até mesmo pela internet.

Segundo um estudo do Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade, que entrevistou mais de 1400 pessoas em 12 capitais do Brasil, 76,4% dos brasileiros têm o costume de se automedicar.

DedMityay / Shutterstock.com

Pois saiba que se seu amigo ou familiar não é médico, o Google é menos ainda e a ação de tomar medicamentos por indicação de pessoas que já tiveram os mesmo sintomas pode ser bastante perigosa.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Quando a gripe se torna um negócio sério: 6 sintomas que avisam que é necessário procurar um médico imediatamente

Ainda que tenha sido você mesmo quem sofreu com os sintomas em outra ocasião, a atitude não é aconselhável, já que os mesmos sintomas não indicam, necessariamente, a mesma doença.

Especialistas afirmam que tomar medicamentos por conta própria pode, além de afetar o funcionamento de outros órgãos, camuflar outras doenças, já que os sintomas desaparecem, mas a enfermidade em si não foi devidamente tratada.

megaflopp / Shutterstock.com

Outro perigo da automedicação é misturar diferentes medicamentos pois um remédio pode alterar o efeito do outro e trazer consequências bastante graves.

Por isso, mesmo quando a tentação de tomar algum remédio para uma simples gripe ou dor de cabeça bater, resista e procure um médico de sua confiança pois além ser perigoso o que você pensa que é um sintoma de gripe, por exemplo, pode indicar uma problema mais grave.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Medicina em foco: Repórter da Globo revela que tratou depressão por 40 anos com o remédio errado


Este artigo é meramente informativo. Não se automedique e, em todos os casos, consulte um profissional de saúde certificado antes de usar qualquer informação apresentada nesta publicação. O conselho editorial não garante nenhum resultado e não assume qualquer responsabilidade por danos que possam resultar da utilização das informações constantes no artigo.