Pesquisadores descobrem porque algumas espécies de aves tê

NOTÍCIAS

Pesquisadores descobrem porque algumas espécies de aves têm penas superpretas

Date 11 de janeiro de 2018

Um estudo recente da Universidade Harvard demostrou que as penas superpretas encontradas em algumas espécies de pássaros da Oceania, na verdade é um arranjo de microestruturas na plumagem que faz com que elas absorvam até 99,95% da luz que bate sobre elas.

Machos de espécies do grupo das aves-do-paraíso possuem manchas de plumagem surpreendentemente negras e de textura aveludada justo ao lado de pedaços com penas coloridas.

As partes negras são bastante diferentes e mais escuras que plumagens pretas de espécies similares.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Zeus: a coruja que leva a galáxia nos olhos!

Utilizando diferentes técnicas de análise como microscopia eletrônica, de varredura e espectrofotometria, os pesquisadores puderam observar como acontece a absorção da luz pela plumagem negra de espécies de sete aves do paraíso diferentes.

A partir da investigação, os autores do estudo descobriram a existência de ramificações nas penas, chamadas de barbulas, totalmente modificadas. Em formação de conjuntos inclinados, essas ramificações fazem com que a incidência de luz se disperse mais do que em penas negras comuns.

Os pesquisadores crêem que as plumagens super negras são uma evolução dos machos da espécie para realçar o brilho das partes coloridas e assim, atrair a atenção das fêmeas para o acasalamento.

Além das penas com essa característica especial, muitos machos dessas espécies realizam danças realmente incríveis com o intuito de se exibirem para possíveis companheiras.

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ: Já pensou em ver o mundo com os olhos de um pássaro? Esse projeto fotográfico faz isso por você!